domingo, 31 de julho de 2011

quinta-feira, 28 de julho de 2011

E também há dias assim...

... em que bato com o joelho na mesa (por falta de cuidado) e nem quero saber!!! Mais uma mazela... Who cares??? I don't! E as noites de Verão fazem esquecer tudo... quase tudo e apetece esquecer (também) Moscovo e a Sibéria e o Mr. D e a sua entourage... Mas depois chega o Inverno e as chuvas e a neve e sim, e quase, quase voltamos a ser felizes com o Mr. D (quase, só quase)!!! 
Mas hoje, hoje temos o calor tuga (muito quentinho) e um Reguengo de Melgaço com Foie Gras (ca chique), e queijo da Serra (da minha Serra da Estrela) e muita cavaqueira (da boa) e a praia, a minha praia (não vi o senhor das bolas - o mafarrico) - e sou feliz assim!
Boa noite, sim???!!!

E numa noite como esta...

... quero lá eu saber da casa nova, e do raio do construtor, e da engenheira, e do chão e da escada e do diabo a sete! As saudades que eu já tenho deste meu primeiro terraço a contar vindo do céu!!!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

We are NOT in the MOODy`s...

Somos pobrezinhos! É verdade... de dinheiro e de espírito (também), mas somos de uma resiliência imbatível e (outras coisas menos boas também). Portantus Mooody's, especialmente para ti, avalia isto agora!!!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Há dias assim...

... em que se começa o dia com uma sensação de vazio... uma tristeza, não deprimida, mas presente. Está ali para relembrar que a vida não é justa, que os desafortunados sofrem, que tenho tudo e continuo à procura de mais, que esta insatisfação constante, se por um lado faz-me andar para a frente, por outro cansa-me e por vezes deixa-me dormente, calada, quieta no meu canto. Em observação... do mundo exterior e em introspecção deste ir e vir sem destino certo! Este porto de abrigo com águas tumultuosas que chocalham, transbordam e inundam... a minha racionalidade/objectividade ou a falta dela. Deste sonho que me permite tanto e ao mesmo tempo limita-me quase tudo. E tudo é tão insignificante quando outros valores  falam mais alto...

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Não foi tudo mau...

O melhorzinho foi mesmo descansar à beira da piscina e abrir a época balnear com uma bola de berlim.... com muuuuito creme (para compensar e recuperar os nervos da desconcentração)!
Gostei ainda de ver um Zé Pedro (não sou fã dos Xutos, mas...) com um ar muito feliz, sereno e confiante a "curtir " a sua música e a apostar num futuro mais risonho. A ele, desejo-lhe muitas felicidades e uma recuperação rápida.

Done it...

Sôdona Papoila (um bocadinho pipi, totó e cocó demais) foi à concentração de motas de Faro. Foi mesmo, à séria e tuditudi. Não queria ir, não tem mota, não tem carta, anda de mota só como pendura (para aí uma meia dúzia de vezes por ano - todos os anos) e a vontade mais louca e parecida com qualquer coisa motorizada com duas rodas foi pensar (e desistir) numa Vespa muito retro (beige e azul cueca) - veículo completamente enquadrado no evento mencionado, pois claro! Mas foi. Foi de carro, sozinha, e em Faro trocou as havainas por umas botas e a t-shirt de verão por um casaco de cabedal (muito pouco ou nada motard, mas era o que havia escondido lá no armário). E o primeiro dia foi de susto, quase com vontade de regressar a Lisboa. A fauna presente empurrou sôdona Papoila para a categoria de bicho do mato cansado. Medo...  Mas sem desistir e a resistir (muito e muito), a flor passou o fim-de-semana todo na barrela a horas imprórias para deixar ir o pó dormir lá para os lados da banheira.
Não gosto de dizer nunca, mas tenho para mim que não vou voltar a repetir semelhante experiência. Foge... quer dizer, fujo!!!

Possessa...

... ou possessão???
Não gosto e até fico com urticária ao ouvir o meu, a minha, quando a conversa gira em torno das crianças (filhos)! Compreendo o meu filho ou a minha filha, pois o pronome identifica o sujeito (objecto da conversa) em relação ao bem falante. Agora o meu ou a minha??? Mas meu quê??? O tio Saramago lá dizia que os filhos são um empréstimo! Mas há aí muita gentinha a tomar tudo como garantido, é o que é!
Melhor só mesmo o meu mai novo :)

segunda-feira, 18 de julho de 2011

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Vou, não vou...

... faço, não faço! 
A indecisão é mesmo o meu calcanhar de Aquiles! Será???
Agora já disse que ia, mas apetece tanto ficar... também!!! Escolhas a fazer e que colocam tantas interrogações nesta cabeça tonta... E se? Sempre muitos ses...

terça-feira, 12 de julho de 2011

E de repente, uma coisa romântica...

... que fazia falta em mi vida!
Como perdi a amiga há já algum tempo (acho que não era muito minha amiga) e ainda não consegui substitui-la por outra que não eu, hoje, escrava irritada e com uma dor de cabeça daquelas, arregacei as mangas e trouxe um amiguinho destes para casa. Quer dizer, não arregacei nada as mangas, troquei-o por um código maquiavélico qualquer inserido numa maquineta de plástico. Eu acho que não sou muito picuinhas mas tenho alguma dificuldade em arranjar amigos destes. Hoje foi o dia. Pena não ser um multi task, mas a ver vamos. Isto de aspirar as escadas com o giga aspirador não é fácil, não é prático e deixar lá o pó também não é solução. Portanto Lulu, enquanto não houver substituta (das boas), há um Dudu rosa pirosa e tuditudi!

Ainda em modo preguiça...

Esta silly season deixou-me anestesiadíssima (devo estar a compensar as duas semanas de insónias consecutivas), não que ande a dormir muito mas ando num dolce fare molto a um ritmo meu, muito meu! Ora faço muito e rápido, ora ando a pastelar... à minha escolha! E sono, muuuuito sono!

terça-feira, 5 de julho de 2011

Uma palavra errada...

... no momento certo (ou errado - ainda não percebi muito bem) e os meus castelos de areia são esmagados por um pé descuidado!
E depois? Depois é preciso uma dose extra de paciência para voltar a construir os mesmos castelos e eu já não vou para nova... é o que é!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Rir é mesmo o melhor remédio...


E pronto, lá tive que me render ao inevitável e voltar a visitar a Clínica Americana em Moscovo (que de americana só tem o nome e o facto de falarem umas dez palavras em inglês).
A primeira tentativa, há uns anos atrás, não correu bem e a fuga para Lisboa no mesmo dia foi a solução encontrada de imediato, tal foi o pânico do diagnóstico, ou melhor, da falta dele e sua subsequente alternativa! Exploratory Surgery - assim à queima roupa, afinal era só uma virose muito marada! Medo, muito medo destes senhores.
Desta vez e após 15 minutos de consulta e 300€ a menos na conta (valha-nos o seguro), saí de lá com um cocktail molotov que, admito, fizeram frente à dor e ao desconforto, mas como efeitos secundários tem o riso descontrolado e a insónia - ora aí está uma coisa que me fazia mesmo falta!!!
Resumido, a noite passada tive um sono reparador de 20 minutos, hoje como estava muito cansada caí na cama às 21.30 para um acordar calmo e desnecessário à 1.30am e pronta para mais um dia de trabalho! Fantástico, cada vez tenho mais confiança naquela clínica maravilha!
A isso junta-se a notícia do corte no subsídio de Natal, de mais trapalhadas nas contas públicas e das contradições dos nossos políticos e tem sido uma noite de risota pegada... tenho para mim que estou a um passito da loucura!!! Ou é do mal ou é da cura!