quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Mais logo...

… umas três horas antes de Lisboa, distribuem-se beijos e abraços, desejos e sorrisos!
Os meus desejos são do mais cliché possível mas é que eu gostaria que 2016 oferecesse.
Até para o ano, gente!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Este Natal...

Houve azevias - as minhas primeiras azevias (aprovadíssimas), rabanadas, bolo escangalhado, bacalhau, cabrito, espargos, pastéis de pato e alguma tranquilidade. 

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Ho Ho Ho...

Com muito pouca vontade (nenhuma, mesmo!) de entrar em festividades natalícias, lá fui à FNAC fazer umas mini compras de Natal para oferecer à criançada. Já na caixa, lembrei a funcionária que queria o talão de oferta. Conversa para a frente e para trás (eu que não sou nada de conversas com estranhos mas ela insistia em partilhar coisas que a mim nada me interessavam) e o talão de oferta ficou esquecido. Assim que saí da loja verifico esse esquecimento e volto atrás só para ouvir que já não era possível a emissão do talão. 
WTF?! Pensei com os meus botões que não sendo a FNAC uma chafarica de esquina sem um sistema informático comme il faut, teria que ser possível emitir o tal talão. 
Ela dizia que não era de todo possível e eu não cedi, o que normalmente até acontece só para evitar aborrecimentos. Pedi que chamasse um supervisor ou alguém que estivesse mais dentro do sistema informático da caixa. Veio o supervisor com a mesma resposta na ponta da língua. Não, não e não. Depois de algum ping pong verbal, lá foi sugerido pelo douto supervisor que a única forma de conseguir o bendito talão era anular a venda (como se fosse uma devolução) e fazer uma suposta nova compra. E com a sugestão veio a pergunta se eu estaria interessada em tal procedimento. Ao qual eu, já com muito pouca paciência, respondi que só queria o talão independentemente da forma que fosse necessária para o conseguir. E não é que o homem voltou a insinuar que teria que fazer a devolução e blablabla…, notoriamente a passar a responsabilidade para o cliente da trabalheira extra que teria que passar pelo esquecimento da colega da caixa. 
A sério, esta preguiça faz-me nervos na franja!

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Politiquices à parte...

Fui ouvir o que o candidato Sampaio da Nóvoa tinha para dizer e não gostei. Já o conhecia de outras guerras, como reitor, e torcia um bocadinho o nariz à pessoa. A entrevista com a Clara de Sousa confirmou o mega-ego do senhor. EU, EU, EU sou capaz de tudo, falo com todos e tenho o apoio de pessoas importantes e EU e mais EU e EU também.
Temos um Yes, I can à portuguesa.
Eventualmente até poderia ser um Presidente da República comme il faut mas não vale, sequer, a pena cogitar muitos ifs porque as eleições estão ganhas. Aliás, a bem da verdade, até se poderia poupar uns eurozitos e não fazer eleições de todo. Assim como assim já todos sabemos quem vai ser o próximo presidente, n'est-ce pas?

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Gelados de Portugal...

Já provei o de Pastel de Nata, o de Mirtilo com Framboesa e Chocolate e hoje foi o dia de Ovos Moles de Aveiro. Não são os gelados italianos cremosos de babar a que estou mal habituada ou os que comecei a fazer com a minha ajudante preferida no último Verão (não, não é a Bimby!) mas são uma alternativa francamente agradável para uma sobremesa rápida e inesperada quer para partilhar quer para agarrar na caixa e usá-la como companhia deliciosa numa noite de filmes.

Mais um post patrocinado pelas minhas papilas gustativas!

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Chique, mas chique a valer...

… ou só snob até à quinta casa!

A minha médica recomendou-me comer Miso (sopa japonesa) porque ai e tal é do melhor que há e faz bem e tuditudi.
Eu adoro comida japonesa, os sushis e sashimis, as tempuras e o arroz, os sobas e os udons - o que eu adoro um belo prato de yakisoba, os teriyakis e os teppanyakis, os donburis e os yakitoris. Basicamente tudo o que não seja muito esquisito. Mas Miso é que é coisa que não me agrada. Nem o aspecto nem o sabor. Aquilo mais parece uma água suja com umas coisas a boiar e apesar de insistir nunca gostei. Até ao dia!
Não pedi mas fazia parte do menú e voltei a tentar. Tudo pela minha saudinha. E experimentei e não é que gostei? Mas gostei desta. E agora? Será que os senhores entregam ao domicílio (Lisboa ou Moscovo) ou, queridos que só eles, disponibilizam-me a receita?



domingo, 29 de novembro de 2015

Dos Pastéis de Belém...

Talvez vá lá menos vezes do que gostaria mas seguramente mais vezes do que deveria ou pelo menos consumo o suficiente (mais do que!) para adiar continuamente uma nova visita. Eu tento (não muito, claro) mas não consigo saciar-me só com um pastelinho - sou só eu que acho que estão mais pequeninos? 
E embora o espaço fuja ao conforto de uma pastelaria mais tradicional, gosto dos azulejos a forrar as paredes, o balcão de atendimento a trazer, a quem se lembrar, memórias de outros tempo e o aroma constante de bolos acabados de sair do forno. E até gosto das mesas fora de moda que ainda não serão vintage mas certamente pertencem ali. O que não gosto mesmo nada é das cadeiras que alguém achou que sim. Pois, para mim é não!

Também não gosto da insistência de algumas pessoas que dizem que ao lado (não sei onde) é que fazem os verdadeiros Pastéis de Belém e que esta receita foi conseguida de forma pouco legítima e que estes nem são assim tão bons como os outros. Não conheço os outros, até poderão ser melhores mas dizer que estes não prestam parece-me injusto, incorrecto e muito redutor (vistas curtas, neste caso paladar - é o que é!).

Este post foi escrito em parceria com o meu estômago (satisfeitíssimo)!

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

I hear voices...


Eles falam comigo. Não é para ou com todos, só quem tem esta sensibilidade é que os ouve assim baixinho, quase um sussurro imperceptível mas muito intenso. E, claro, não são todos só alguns é que têm a ousadia de comunicar com os humanos. Aqueles que têm alma e que querem fazer parte desta vida em vez de serem eternos espectadores.
Para quem estava mais do que proibida de se aproximar de uma qualquer livraria, consegui, não sei como, ter dez novos calhamaços para transportar para Lisboa. Tudo começou com um singelo e pequeno livro, de repente já tinha seis e depois nove e outro debaixo de olho e, claro, dez dias numa cidade que não deixa dormir ninguém. Um livro por dia nem sabe o bem que lhe faria. Para já, faz-me muito mal às costas...
Ah e tal é mais barato comprar online e tal. Talvez seja mas e aquele namoro pegado com direito a borboletas na barriga e sonhos imensos que acontece quando se pega no livro pela primeira vez e folhei-se para a frente e para trás até ele dizer aquelas palavras mágicas? "Take me with you". Nunca encontrei disso online.
Estes dez sabem-na toda, é o que é!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Não tenho cura...

Eu estou (estava?) proibidíssima de comprar seja o que for relacionado com receitas. Não vou ter tempo, nesta vida e parece que não deixam levar para a outra, de fazer ou ler nem metade (provavelmente nem 1/3) das receitas dos livros, revistas, cadernos, folhetos que moram lá na minha maison. A prateleira da sala já se estendeu para a prateleira de cima, duas na cozinha, uma no escritório e um cesto no chão.
Eu tinha prometido a mim mesma que não era sequer razoável comprar uma linha que fosse mas ainda assim andava na loja a repetir mentalmente a promessa, qual pecado mortal - não comprarás, não comprarás, mas sempre com o livro no cesto. Devia estar à espera de chegar à caixa e dizer ah, afinal não quero comprar este livro e o senhor responder já está registado, minha menina, agora tem que levar. Escusado será dizer que me esqueci de informar o senhor que não queria comprar o livro e o senhor falhou em ler os meus pensamentos. 

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Seis meses...

Depois de um até amanhã que não chegou acontecer e de um turbilhão de emoções indescritíveis veio a despedida que eu pensei ser a última. Para sempre. Hoje sei que não tem que ser assim. E não é.
Estes meses têm sido duros, dias há que em que me sinto perto da loucura e do desespero contrabalançados por uma aceitação ainda trémula que ameaça acontecer e, que por si só, encerra alguma tristeza: ser capaz de continuar a respirar, voltar a ter vontade viver, lutar e até sorrir. Talvez ainda seja um sorriso triste mas é um começo. Um pequeno passo que me impulsiona a continuar. Como se o esquecimento se quisesse instalar. Nunca o esquecimento vai apagar esta vida que aconteceu. Que me aconteceu. Mas o tempo tem destas coisas e não gosta de ser contrariado.
E hoje, mais do que nunca, sinto que a partida é o uso do bilhete de regresso que nos foi dado quando aqui chegámos. 
Um bilhete de ida e volta que não admite atrasos e um dia se concretiza. 
Até já.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Diz que...


Coca-Cola é que é...

Conversa entre três pessoas supostamente formadas e informadas:

F - Look, look… Polar lights!
S - Would you like a Cola Light? Now?!
P - Hahahahahhaha


Diálogo (foi mais um monólogo, mas pronto) entre duas pessoas portuguesas:

M - Ah e tal e não se pode elogiar excessivamente senão ainda se acha a última Coca-Cola Zero!
P - ?!

No comments.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Analogias à parte...

Ou não, o Paulo Portas lembra-me o burro do Shrek: "escolhe-me a mim, escolhe-me a mim".
Oh, silly me!
- Posted using BlogPress from my iPhone

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Cada um é para o que nasce...

Sem ofensa nem descrédito, drama ou preconceito e felizes aqueles que encontram o seu rumo e que alcançam a tão desejada plenitude (ou próximo).
Se é a trabalhar a terra, a amassar o pão ou em cálculos improváveis de alta finança já é uma questão de sorte (que lhe calhou) mas não vale a pena ir agarrar a viola se as unhas não acompanham.

- Posted using BlogPress

domingo, 4 de outubro de 2015

Inenarrável...


"Há pessoas com uma falta de escrúpulos fantástica.
Uma certa pessoa, ligada a uma certa empresa, publicou no seu portal do Facebook uma foto do seu boletim de voto já preenchido, violando claramente o respeito pela lei que proíbe qualquer indicação de sentido de voto no dia das eleições.
Mas, não contente com isso, gabou-se de, ao ter sido interpelada por uma idosa que lhe perguntou em que quadrado deveria colocar a cruz para votar num determinado partido, diferente do da tal certa pessoa, lhe ter indicado o quadrado da sua própria escolha e não o que a idosa lhe perguntara.
Das duas uma, ou não tem qualquer tipo de escrúpulos em enganar os outros, e isso dirá muito sobre a tal da certa empresa, ou então é completamente falha de inteligência e isso também não abonará o tal produto."

in Facebook

Acção-reacção...

Inevitavelmente, e infelizmente já sem surpresa, vejo o maço de cigarros vazio ser atirado para o chão, mesmo ao lado do cinzeiro de pé - mobiliário urbano - que suportaria, igualmente, o mesmo.
Dois minutos mais tarde, a mesma pessoa simultaneamente a fumar, a segurar uma taça de chocolate e a falar ao telefone encosta-se ao corrimão largo em pedra da escadaria da entrada e ensaia sentar-se, esquecendo que a inclinação não vai permitir um apoio seguro.
Houve-se o estilhaçar da taça, vê-se umas pernas no ar e um vestido cheio de chocolate.
Eu, que faço? Rio baixinho.

O que amadurece são os danos, não os anos...


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

domingo, 19 de julho de 2015

Um dia de cada vez...

Há precisamente três meses, 19 de Abril e num domingo à tarde também, despedimo-nos para sempre sem (eu) saber. Era só um até amanhã. Quero muito acreditar que foi um até sempre e que esse sempre espera por mim. Eu espero-o.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

As primeiras vezes...

… são tão difíceis.
Fui a Moscovo e voltei a trabalhar pela primeira vez após a sua partida. Ontem regressei a Lisboa e o tempo sobra-me com a sua ausência. O vazio é enorme e a culpa não dá tréguas. A culpa de não ter prolongado um tempo valioso que, eventualmente, ainda pudesse existir. Mais um abraço, um beijo e uma palavra querida. Um exemplo. Um amor de referência.
Ficam as memórias, a saudade e os gestos. Aqueles gestos. Os nossos gestos. O relógio igualmente usado no pulso direito, os talheres trocados (sempre),  a dedicação, a teimosia (imensa), os valores e princípios, o trato, a história, o amor.
A dor, a tristeza e o arrependimento moram aqui.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

So true...

Obrigada H pelo link.
Obrigada J, M, C, H, P, S, H e S pelas palavras, ombros, ouvidos, colos, tempo, abraços e uma ajuda incrível para conseguir voltar a respirar.
Obrigada AB, AM, AI (N), AA por tudo.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Há momentos destes...

Este parece ser um deles (

À grande e à suíça...

Segunda reunião, segundo engenheiro com a braguilha aberta (e não, não sou uma pervertida mas atenta a tudo o que me rodeia).
Na casa-de-banho das senhoras, entra a colega suíça directamente para a solitária sem lavar as mãos.

E eu que até tinha esta gente em tão boa conta (((

Isto não se faz, é uma autêntica desfeita!


- Posted using BlogPress

domingo, 12 de abril de 2015

sábado, 11 de abril de 2015

Tique emergente...

E eu que até falo com as mãos, nesta emergência específica, fiquei quietinha com a mão sobre a mesa. Uma coisa assim super discreta e chique!

Uma reunião e três emergências...

 Alguém estava a usá-la, não sei quem!

Ai senhores, que lá se foi o verniz!

E não há terceira fotografia mas a reunião continuou com um sorriso maroto até ao fim. Então o senhor engenheiro, um homem alto, espadaúdo, tão bem parecido e melhor falante e apresenta-se com a braguilha aberta. Tenho a certeza que quando reparou deve ter ficado embaraçadissímo. Acontece aos melhores )))

Ontem...

… foi sexta-feira 13 (treuze), não foi? A mim, pareceu-me (((

Oh homem, decida-se...

Afinal a temperatura desceu e já chove.

St. Peter, posso fazer uma encomenda on-line?
Muito sol e calor do bom a partir de terça-feira para Lisboa, ok?
Grazie!

O faux pas da semana...

… da semana inteira (((

É pensar que ia dois ou três dias a Moscovo e acabar na Suiça com 22ºC.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

I beg your pardon...

Passageiros da Sata Internacional para Santa Maria e Ponta Delgada queiram embarcar na porta treuze. Treuze???
O meu destino era outro e a minha porta era longe senão ia lá dizer qualquer coisinha.


- Posted using BlogPress from my iPhone

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Globalização...

Diz que me inscrevi num ginásio, que faz bem à saúde e que tenho que arranjar tempo porque sim. Conselho da senhora doutora que ainda não sabe das últimas maleitas. Mas pronto, essas já lá vão e para a frente é que é caminho.
Diz que tenho o melhor PT e diz que é pessoa para me obrigar a frequentar o ginásio em Moscovo. 
Agora para além de falta de tempo, tenho medo também. Muito medo.

Eu meto-me em cada uma...

terça-feira, 17 de março de 2015

Amor também é...

Sobrinho mais querido do mundo fazer chichi na cama da tia (acabada de fazer) e esta tia trocar tudo e não estar nem aí.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Última descoberta gourmet...

Uns belíssimos canelés de baunilha ou com doce de leite ou com chocolate e framboesa para levar as preocupações para longe.

terça-feira, 10 de março de 2015

Estou feita...

Pois, não deve ser só imaginação. Ali, há gato.

Dizem...

que o TOMO é o melhor restaurante japonês de Lisboa.
Fui ao Sushic e gostei mas ficou, seguramente, aquém das expectativas. Demasiado fusion para o meu gosto e eu gosto de sushi a sério e à séria. E a fasquia está lá muito em cima: sushi bares em Tokyo e Osaka para locais, não para estrangeiros.

Os cães ladram...

… e a caravana passa.
E assim acontece...

segunda-feira, 9 de março de 2015

Dreams do come true...

Já não preciso de ficar 45 minutos a mexer constantemente a chata da sericaia.
Quer dizer, precisar ainda preciso mas pode ser que em breve passe a ser coisa do passado!

Qual é coisa, qual é ela...

A consultar um documento pdf na internet para um trabalho a realizar. O que vale é que já ando nisto há uns anos e parece-me que consigo contornar a coisa sem grandes dificuldades. Caso contrário, tenho eu de que estaria à beira de um eucalipto nervoso.

sexta-feira, 6 de março de 2015

No comments...

Três lugares: chamemos-lhe ponto A, ponto B e ponto C.
Três pessoas tinham que ser transportadas do ponto A para o ponto B, uma destas pessoas ficaria no ponto B e uma terceira juntar-se-ia às outras duas no ponto B e juntas iriam para o ponto C. As mesmas três pessoas regressariam ao ponto C.
Ponto A, B e C distam cerca de 15 minutos. Estas quatro pessoas são colegas de trabalho, mas só três viajariam de carro simultaneamente, uma vez que a quarta pessoa substituiria a terceira.
Esta complicadíssima manobra, gerida pelos senhores do lado de cá da cortina, envolveu três táxis, confusão de pagamentos, vários telefonemas, dois taxistas irritados e uma reunião a começar atrasada.
E querem eles gerir o circo sem os estrangeiros… Boa sorte!

terça-feira, 3 de março de 2015

Contrastes...

Em Moscovo, um apartamento com o aquecimento ligado 24 horas por dia e as luzes em modo época natalícia contabiliza a módica quantia de 300 rublos por mês. Quando está muito calor em casa, abre-se a janela. Parace-me que ninguém conhece o botão off.
Em Portugal… o Natal é em Dezembro!

sábado, 28 de fevereiro de 2015

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Definitivamente...

… não me enganei no voo e cheguei ao destino certo. Caraças, que gente tão mas tão burra!
Cansam-me a beleza e eu que até era uma miúda engraçadita.

Americanices...


Aqueles senhores são espertos como o Alho (e não como um alho), as coisas que eles inventam e que fazem mesmo falta.
Andava eu a pensar comprar uma segunda taça - andar a lavar a taça várias vezes para bater a massa, agora as claras em castelo, depois a cobertura estava a dar cabo destes nervos fraquinhos - mas ao ver os preços em Portugal, recuei com cautela e adiei para uma viagem à origem.
Lá na origem encontrei esta coisa fantástica que não ocupa espaço e resolve o problema e até acaba por ter uma função adicional. Bowl liners! São umas taças em plástico que encaixam na taça principal e evitam a lavagem constante durante a confecção do mesmo bolo, um conjunto de 2 liners por menos de 20USD. Like it, béri béri!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Confirmo que cheguei ao destino...

… quando me sinto rodeada de gente burra!

Verifico que estou no voo certo...

… quando na porta de embarque está um monte de gente desordenada e desordeira, que não respeita as filas, que faz orelhas moucas aos anúncios sobre o embarque prioritário (e depois são mandados para trás), que se recusa a falar outra língua, que acha que todas as pessoas que estão naquele voo são da mesma nacionalidade e que cheira um bocadinho mal mas tem muitas LVs a tiracolo, muitos looks tigresse e muitos saltos agulha (para um voo longuííííísimo) e eles um ar muito totó!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Ele há coisas...

Tanta coisa para entrar no país à cause de tanta imigração ilegal e se não é o visto tradicional é o APIS e filas de espera intermináveis e carimbo para a frente e para trás e perguntas e mais perguntas e para sair ninguém verifica sequer o passaporte, já me aconteceu várias vezes, duas delas em aeroportos de grande tráfego de passageiros e emigrantes. Deve ser assim que controlam as entradas e as saídas e a tal da imigração ilegal. Pois. Deve.


- Posted using BlogPress from my iPhone

Mesmo, mesmo...

I'm a sucker por algumas americanices.


- Posted using BlogPress from my iPhone

Pergunta para queijo processado...

Estou num lounge num aeroporto americano e um senhor com limitações visuais (não parece ser cego) acabou de sentar-se aqui ao lado. Mas antes pegou no seu (do senhor) casaco e colocou-o no chão para o seu cão fazer a sesta!
Sou eu que sou uma nojentinha ou isto é uma coisa perfeitamente normal?


- Posted using BlogPress from my iPhone

Não havia necessidade...

I'm in the middle of nowhere in nofuckingwhere, pardon my french, I mean Delaware.

Mas não resisti… e não preciso de " " porque não estou a citar ninguém!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Também há coisas que não gosto...

O raio das temperaturas gélidas dos ares condicionados. E mesmo quando se ajusta o termostato para o máximo (24ºC), a cada 20 minutos há uma corrente de ar fria só para relembrar que isto não é nenhuma sauna!

Digam o que disserem...

Living in the USA is so much easier!
Eu não disse que era melhor.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Eu odeio estas coisas dos computadores...

O iPhoto estava armado em parvo e só aceitava fotos do telefone, ficava a mastigar as do tablet e nada. E eu embirrei que havia de fazer o download agora. E tenta e experimenta e muda de cabo e volta a insistir e reinicia os bichos todos e nada. E no meio do nada, salta uma janela para fazer o update do iTunes e eu, sem querer, aceitei. Córror, córror não quero cá isto. Quero a versão anterior que para pior já basta assim. E vai de googlar desenfreadamente à procura de respostas. Que as há. E tudo muito bem, os senhores queridos da apple têm várias versões disponíveis mas agora tenho ali um iTunes vazio, sentadinho sozinho no escuro muito abandonadito. Algumas horas depois lá consigo pôr a coisa a funcionar mas defeituosamente. Umas músicas repetidas duas e três vezes e outras completamente ausentes. Começo o jogo do instala, desinstala e nada de conseguir repôr o bicho. E verifica-se as permissões do sistema e repara-se o que está em erro e não adianta nada. E desinstala-se tudo outra vez, volta-se a instalar e agora nem sequer consigo abrir o iTunes por falta do componente 42401. Desisto. Deixo a batata quente para quem perceba disto a sério (os senhores da apple de Tokyo fazem-me agora tanta falta, canudo!). 
Viro-me para o iPhoto e o sacana (que não tem mesmo outro nome) decide aceitar as fotos todas do tablet. Really? Andava há dias de volta disto e depois de ter esfrangalhado o iTunes, este arma-se em anjinho e faz o que deveria ter feito à primeira tentativa. Só me apetece… nem sei bem o quê!

Chamem-lhe o que quiserem...

Eu tiro a pinta às pessoas cá como uma pinta que até eu, às vezes, fico desconcertada.


- Posted using BlogPress

Eu e as minhas bruxices...

Se eu acertasse nos números da lotaria, totoloto, sorte grande, jackpot e outras promessas de fortuna fácil como acertei precisamente no número de horas que um trabalho planeado para 1h30 acabou por levar (15h), a esta hora já não estava aqui. Era certinho.

- Posted using BlogPress

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Só a mim...

Eu e as minhas manias parvas negligentes de não ler as instruções calmamente antes de pôr a coisa a funcionar levou a que puff desaparecesse tudo do desktop, assim como que por magia. Ah e tal e é preciso instalar coisas para limpar o computador e porque fica cheio e lento e o diabo a quatro e quando olhei já não tinha nada no desktop. Limpinho, vazio, a brilhar.
Depois de casa roubada lá fui ler as letras pequeninas e, aparentemente, os ficheiros estarão guardados algures. Deveriam ter sido guardados num folder por mim designado mas como o bicho nunca chegou a perguntar nada não sei bem onde é que as coisas foram parar. 
Tenho a dizer que estava para aqui a cair de sono e parece que levei uma injecção de adrenalina. Ainda estou tremeliques de todo.

Por aqui é assim...

O queijo ricota que comprei não é ricota nem aqui nem na China. Tudo à cause daquela coisa das sanções e do bloqueio. Os supermercados quase não têm produtos internacionais nenhuns!

Estou pior da tola...

Saio para ir ao supermercado fazer umas compras. Lembro-me de passar na farmácia antes e comprar duas coisitas. Abro a carteira e vejo que não trouxe os cartões, só meia dúzia de rublos que chegavam para pagar a conta. Mas e se tivesse ido primeiro ao supermercado e já com o carrinho cheio? Havia de ter sido uma coisa engraçada. Eu num russo atrapalhado, eles que não pescam nada de inglês… a esta hora estaria a ser enviada para a Sibéria… só para reflectir, claro!

domingo, 15 de fevereiro de 2015

E o dia dos namorados...

Foi saltar da cama às cinco da manhã atrasada para apanhar o avião. Desta vez nem sei como consegui. Adormecer antes da descolagem e acordar pouco antes da aterragem. Chegar ao destino e nem ter forças nas pernas para andar, era mais cambalear. Tomar um café (coisa que detesto) e começar a trabalhar porque o que me esperava não era pouco. Jantar cedíssimo e cair na cama ainda com tempo e vontade (valeu o café) para aquela coisa dos cremes que prometem beleza eterna e dormir dez horas seguidas. Foi assim e foi muito bom.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

14 de Fevereiro...




- Posted using BlogPress

Diz que é Carnaval...

Really?
Por aqui nem se dá pela coisa. Tudo calmo, tudo zen.

- Posted using BlogPress from my iPhone

Está na massa do sangue...

Uma pessoa faz uma compra numa loja internacional em Milão, não está certa do tamanho e hesita. Assistente da loja de Milão garante que a troca pode ser efectuada em qualquer loja da marca em toda a Europa. Chegada a Lisboa, verifica-se que o tamanho está errado. Dirije-se à loja "mãe" na Av. da Liberdade onde a troca é recusada porque não têm o artigo e tal e coiso e o caneco. Encaminham para o El Corte Inglès que também recusa a troca porque e tal e coiso e o caneco. Adiantam ainda que não acreditam que esse sistema de trocas europeias seja verdade. Insisto que foi a informação da loja de Milão. Não querendo acreditar nestes obidinhos que a terra não há-de comer, esta assistente ainda atira que ela faria o mesmo a um estrangeiro: para efectuar a venda diria qualquer coisa porque, muito provavelmente, o cliente não voltaria à loja. Alerto que vou enviar email à marca a denunciar esta trapalhada toda e a ética profissional dos seus colaboradores. Assistente fica verde, azul, roxa às bolinhas em menos de um piscar de olhos.
Em Vienna, sem qualquer pergunta, efectuam a troca por outro artigo, uma vez que aquele não estava disponível, e pelo valor da loja de Vienna que neste caso foi favorável (jamais possível em terras lusitanas).
E é esta a nossa realidade: poucochinha, muito poucochinha!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

As férias...

Já fui, já vim e estou com uma tremenda dor de cabeça. Acho que preciso de férias para descansar das férias. É isso!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Sorrir faz bem à saúde...


Piada curtíssima e...

… muito provavelmente sem piada alguma mas que resultou nuns minutos de risota tonta.

Para desenferrujar o italiano, define-se o GPS na língua local e lá está a Adriana a comandar a rota.

"Alla seconda rotonda, prendere la prima uscita, alla terza rotonda, andare dritto e poi girare subito a destra e prendere la prima uscita, allo stop, girare a sinistra e uscire alla prima uscita"

Pergunta de partner de viagem - Tens uma prima uscita?
Resposta na ponta da língua - Sim, tenho uma prima uscita da casca!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Curtíssimo intervalo...

... nestas férias profusamente gastronómicas:

Itália é sempre um óptimo destino!


- Posted using BlogPress from my iPhone

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Weekend or we can...

Fim-de-semana em cheio e muito cheio. Compras, visitas, jantares, sobrinho querido a ficar a passar a noite cá em casa e tudo o que a logística de um bebé envolve (preparar o leite, mudar fraldas, acalmar o choro, dar banho, adormecer, ajudar as cólicas, trocar muitas vezes de roupa) e dormir pouco, muito pouco.
Agora diz que vou de férias. Merecidas e descansadas. 

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Excuse me...

Mas agora é moda as roupas não poderem ser secas na máquina de secar?
Calças de pijama? Really?
Olha, estão lá às voltas. Se calhar passo a dormir de calções.


- Posted using BlogPress from my iPhone

A minha vida também tem dúvidas destas…

Ai que nunca tenho tempo para nada e ai que tenho sempre mil coisas para fazer. Ai, agora é isto, depois aquilo e a seguir mais o outro.
Hoje ia ficar com sobrinho querido desta tia tão enamorada. Cancelei coisas, reorganizei-me para rentabilizar o tempo que iria ficar em casa com o bicharoco.
Entretanto a minha irmã acaba de cancelar tudo e, de repente, tenho o dia livre. 
Podia ir aqui, ali e acoli, fazer tudo e mais um par de botas e estou a aqui sem saber por onde começar.
A chuva também não está a ajudar. Não me apetece apanhar uma molha.
Se calhar fico por aqui a fazer umas coisinhas e a pastelar. Ou então, não!

Canervus, canervus, canervus...

Detesto que sacudam o água do capote para cima dos outros, especialmente quando o erro entra pelos olhos dentro.
Valha-nos os outros (os estrangeiros) que não sofrem de falta de ética profissional.
A DHL Portugal bem que podia aprender mais e melhor com quem sabe o que anda a fazer. 

Valha-me nosso senhor dos agnósticos...

Mas sou só eu que acha o programa Passadeira Vermelha uma pepineira?
Não se aproveita uma...
E eu, tonta, perdi 30 minutos a olhar para aquilo. É que nem a so-called fofoquice bling bling consegue agarrar-me à TV. Que grande xaropada que para ali vai.

- Posted using BlogPress

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Coisas que me deixam a modos que...

A máquina de secar roupa lá por ser topo de gama, ecológica, com auto-limpeza, inteligente, iluminada, sensível, silenciosa, económica (apesar de ter custado uma fortuna) e mais um sem número de adjectivos fofinhos irrita-me. Irrita-me muito. Por ser tão especial e de secagem por condensação sei lá o quê mais obriga-me a despejar a gaveta da água quase a cada utilização. Nervos, pá!

Não é só a Palmier...

… que tem uma empregada que podia ser  blogger. A minha está completamente in (eu até acho, e não sou a única, que a senhora trabalha para o KGB - as coisas que ela sabe e os livros que lê - sim, a minha empregada é supé supé e até traz livros para eu ler, também leva livros emprestados. A minha casa funciona assim como um banco de livros.)
Bom, mas ao que eu vinha era sobre a minha empregada que se não fosse empregada seria blogger. Ou então até é. A senhora é muito multi-tasking e extremamente empreendedora.

Após 32 horas sem descansar o corpo numa posição confortável e horizontal, chego a casa em modo zombie. Refiro que tenho que fazer uma sopa porque não me apetece mais nada. Sôdona blogger empregada, resolve tudo com um "Fazer sopa agora? Porque não vai ao Pingo Doce ou ao Jumbo COMPRAR uma sopa do take-away, não é de lata, é caseira, sem corantes nem conservantes. É muito boa mesmo. Mas as do Jumbo são melhores."

Até há uma semana atrás eu não conhecia este serviço take-away dos supermercados. Nunca tinha ouvido falar desta solução tão rápida e económica para uma refeição caseira. Foi a blogosfera que me retirou da ignorância onde eu vivia tão sossegadinha a achar-me supé moderna mas foi a minha supé blogger empregada que me levou a viajar para tal destino.

Apesar de todo este novo mundo do take-away gastronómico, tenho a concluir que, apesar de não ter experimentado as sopas do Jumbo, as do Pingo Doce (sopa de cenoura com maçã e aipo e sopa de legumes) não convenceram ninguém cá em casa. De volta aos tachos e panelas (cá em casa não há Bimby).

Next task: descobrir qual o blog de sôdona empregada. Ela anda aí.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Portugalidades...

Sei que estou no voo certo quando, entre conversas cruzadas, escuto um ódepois, prontus e é assim (como início de frase).



- Posted using BlogPress

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A caminho...

... da coisa mais querida que 2014 me trouxe: o meu bicharoco (sobrinho da tia babada).


- Posted using BlogPress

Apetece-me...

Chamar grunho a uma pessoa, pôr os pontos nos iis a outra e deixar de engolir sapos!


- Posted using BlogPress

Coisas absolutamente indispensáveis...

… na cozinha de qualquer MasterChef que assim se denomine )))

É que já estava fartinha das tampas dançarem sozinhas e, invariavelmente, vir tudo por fora. 
Ora, 3-2-1 amanhã já entram ao serviço!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Entretanto...

A Universidade do Minho respondeu e sim, têm muito mais informação disponível e que aos poucos vão digitalizando e fazendo o upload no interface de pesquisa e ainda convidaram para fazer uma pesquisa presencial no Arquivo Distrital de Braga.
Et voilà!
Confesso que não estava à espera de uma resposta tão positiva e tão rápida mas tiro o chapéu aos senhores que fazem, e aparentemente bem, o seu trabalho.
Ora então, até breve!

sábado, 24 de janeiro de 2015

Eu tropeço em cada coisa...

Caramel au beurre salé enrobé de chocolat noir aux superfruits, dizem estes senhores belgas! Malandros, desestabilizadores da calma alheia, pessoas do mal é o que são.

yum & gluten free )))

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Há sempre uma primeira vez...

E hoje, pela primeiríssima vez, fui aos subúrbios de Mockba e, ui ui ui, a selva de betão é igualmente assustadora, se não mais ainda. Blocos de apartamentos altíssimos onde as pessoas vivem em autênticas colmeias. T1s e T2 minúsculos, verdadeiras caixas de fósforos. Os colegas locais já tinham mencionado o tamanho das casas mas eu ainda alimentava uma comparação à realidade portuguesa. Pior, muito pior. No entanto, o contraste existe. Rublyovka não é, certamente, para todos.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Braga por um canudo...

Em meia dúzia de horas vou na sétima geração. Aguardemos, então.

Eu meto-me em cada uma...

Do nada ou até por alguma razão menos óbvia quero revisitar o Minho, mais precisamente Braga, onde parte da família é oriunda. Para chegar lá devidamente informada, comecei a pesquisar locais e nomes na internet o que me levou a preencher com mais detalhes a árvore genealógica. Agora aparece um smart-match. Uma pessoa entusiasma-se e pensa mesmo que vai ficar a conhecer mais uma página da sua história. Um Frank Bennet na Austrália. Ora, parece-me muito pouco provável até porque a primeira pessoa a pisar solo australiano fui eu mesma, logo é muito difícil ter lá ascendentes a não ser que a minha vida também tenha um Benjamin Button algures. Depois de analisadas as coincidências, verifico que estou só mesmo a perder tempo. Frank Bennet coincide com Francisco Bento com data de nascimento e de morte semelhantes. 
Ora, se estes senhores fossem brincar aos cowboys em vez alimentar esperanças em vão é que era coisa digna.

Só a mim e aqui...

Há quem se constipe com uma corrente de ar frio, eu acho que me constipei com ar quente. Deste lado da cortina está frio. Mas um frio normal. -9ºC, nada de extremo. 
Fui jantar e a minha mesa era mesmo junto ao aquecimento. E eu a sentir o ar quente nas pernas e a gostar. E assim passei, seguramente, quase duas horas até ter começado a espirrar compulsivamente o que me fez vir embora. Agora estou a chá de limão e mini bolo de chocolate. Para pequenos males, pequenos remédios!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Quem quer faz...

Ai, estou aqui aos pulinhos. 
A minha dermatologista rasgou-me uma blusa de seda durante um tratamento a laser. Ah e tal dispa-se lá e eu vejo esse sinal e aproveita-se e tira-se tudo de uma vez e nisto zás… as pressas deram num lindo rasgão. Eu, pessoa muito fashionista e criativa inventei logo de comprar umas fitas de cetim para tapar a costura que iria reparar o tal rasgão. Mas para ficar uma coisa fashion e não em modo remendo, recomendei a costureira a coser a fita sobre o rasgão e deixá-la a cair solta pelas costas e a repetir do outro lado (o rasgão é junto ao ombro). Uma coisa super trendy, in, boho, chic e tuditudi. 
Agora tenho o moço de fretes a recolher a blusa e a perguntar sobre os detalhes da mesma e eu a querer saber se o arranjo ficou bom e só ouço NÃO SEI. MAIS OU MENOS.
Aquela coisa de delegar é bom não se aplica a esta situação. De todo!

sábado, 17 de janeiro de 2015

So cool...

Eu coloco links de qualquer coisa interessante (ou não) em português no Facebook e os meus amigos Facebookianos estrangeiros correm logo a pôr um like. Devem gostar dos bonecos, só pode!
Ele há coisas do caneco...

Mais coisa, menos coisa...

Uma pessoa googla chá, embarca numa de cultura e oh, well... é quase a mesma coisa.
Deve ser a crise que anda aí ou será hamburguer de chá? É preciso é acertar no nicho. Business, just business.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Ano novo, vida nova...

Dizem! Eu não sei nada dessas coisas mas dificilmente me apanhariam a jantar às 20:30, a chegar ao mesmo jantar antes da hora marcada e a terminar a noite a ouvir AC/DC, a empurrar uma mousse de chocolate com um Hibiki e a gostar de tudo! Ele há coisas... er... novas!

- Posted using BlogPress

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

A ver vamos...

Faz hoje um ano que despenquei lá de cima e dei cabo do joelho. Mas mesmo a sério. Claro que aconteceu no ano das mil e uma maleitas. Ontem, ano novinho em folha, fui encontrar o passe no bolso do casaco. Será um aviso? Ou um lembrete?