terça-feira, 25 de outubro de 2011

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Para adoçar o amargo que anda à solta...

Hoje uma coleguinha querida ofereceu uma caixa de Bamboo Garden Icy-crispy Dragon Beard Candy a cada um de nós e, como o bendito do coleguinha não gosta de doces, eu fiquei com duas!!! Porque mereço, porque já estou a chegar aos limites e porque não sei para onde me virar... (tanta desculpa porque já comi 4 rolinhos maravilhosos)!
E agora vou só ali entortar os olhos com mais umas horas de computador em cima e não sei quando volto...

Uma abelhinha...

... pouco mestra, é como eu me sinto! Já me dói o estômago e a cabeça, só quero ir dormir e esquecer que agora vai ser assim e (cheira-me) muito pior. Com bolos se enganam os tolos e, eu, ou não sou tola ou estes bolos não prestam!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Partilho o que partilham comigo...


‎Morre lentamente quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem destrói o seu amor-próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma escravo do hábito,
Repetindo todos os dias o mesmo trajecto,
Quem não muda as marcas no supermercado,
não arrisca vestir uma cor nova,
não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem evita uma paixão,
Quem prefere O "preto no branco"
E os "pontos nos is" a um turbilhão de emoções indomáveis,
Justamente as que resgatam brilho nos olhos,
Sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho,
Quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho,
Quem não se permite,
Uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da Chuva incessante,
Desistindo de um projecto antes de iniciá-lo,
não perguntando sobre um assunto que desconhece
E não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
Recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o
Simples acto de respirar.
Estejamos vivos, então!


 Pablo Neruda

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Eu e os meus nervos...

Pronto, aquelas pessoas já estão a abusar e eu tenho uma proposta fantástica para todos: Ora, eu fico aqui em casa a fazer os TPCs (que esta gente parece ter esquecido), sempre agarradinha à tecnologia e até passo a ser uma expert nestas coisas e os senhores pagam-me o salário e não me obrigam a congelar, boa?
A mim parece-me fantástico! A bem da verdade, já não tenho idade para me enervar assim tanto... e todos ganham! Vamos lá a ver se nos entendemos... há sempre a alternativa do chicote!

Eu e meu mau feitio...

Pessoas, expliquem-me, porque anseiam pelo frio? Porque estão fartos do calor e do sol e dos bons humores e amores? 
Eu também tenho cachecóis quentinhos, botas novas e tapa orelhas super fashion mas ando tão contentinha da vida por continuar de vestidinhos de Verão, sandaletes confortáveis e bolas de berlim na praia que não consigo entender o porquê deste descontentamento. Irra que o bicho homem é difícil de agradar...

St. Peter, please, faça ouvidos moucos a esta gente!

Quando o telefone toca...

... assim, os planos fogem! Pronto, não há bolo da tia Leonor, mas vai haver outra coisa qualquer (cinema ou teatro ou jantarito) - tenho para mim que é um suborno (graxinha) - alguém anda a namoriscar um relógio e como amanhã é dia de festa... Hum, não sei... a ver vamos (confesso que não prestei a devida atenção ao pedido e já nem me lembro qual era o relógio, mas o lembrete... esse vem a caminho!

Apetece-me um chicote...

Acho que não gosto de ser polícia de ninguém mas pareço ter um talento natural para detective... as coisas atiram-se para o meu caminho! Não sei bem como mas já vem de há muito, desde que era miúda e nem tinha idade para perceber bem estas coisas das imposturices, intrujices, jogos de cintura e outras coisas que tais...
Com as ferramentas que a super tecnologia coloca à disposição do mais info excluído (moi-même) - se calhar não tão excluída como isso, mas bastante básica! - e apesar de alguns fusos horários de diferença, tropecei (lá está) em informação moscovita que me deixou os cabelos em pé! Pois que ser "presidente da junta" não é pêra doce! Até agora só recebi informação dos deveres, obrigações e responsabilidades. Direitos extra 0 (as in zero)! Mas não gosto cá de calculismos nem de bailaricos em pontas (se fosse ballet a sério no Bolshoi seria outra conversa, não sendo... dispenso!). Graxa... também não funciona! Graxinha da boa, só da sobrinha mailinda do mundo (não é sobrinha a sério a sério, mas feitas as contas ao coração ainda é mais)! De todas as outras almas... é devolvida normalmente como mensagem de erro e com efeitos futuros pouco simpáticos. Portanto, pessoas com as quais só obrigada a partilhar o meu dia-a-dia, peço-vos que não me aborreçam porque a idade pesa, a tolerância encolheu e ando agastada com outras coisas, sim?!

Agora que já conseguiram enervar o Tico ou o Teco (não sei qual deles estava hoje on duty), vou ali fazer um bolo para ver se acalmo.

domingo, 16 de outubro de 2011

Oh St. Peter...

... não leve as coisas tão a peito. Se for preciso, eu pago a multa ou arranjo outro caminho... Este fim-de-semana já não houve praia. Assim já não gosto. A bem da verdade, agora já não faz grande diferença mesmo. Outras temperaturas estão à minha espera. E um Verão de S. Martinho atrasado? Lá para o fim de Novembro... hum, St. Peter? Combinado?

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Esta crise...

O economista Vítor Bento à conversa com a tia Judite, e já no final da entrevista, diz que quer ilustrar com uma imagem (para que todos nós, burrinhos, possamos compreender) esta nossa travessia no deserto com um dobrar do cabo das Tormentas e "rezar" (palavra minha) por um Cabo da Boa Esperança. E quem será este Adamastor? É uma imagem muito explanatória (eu estava era à espera de exemplos reais e menos camonianos).

Desde quando...

... mas desde quando é que a Anatomia de Grey é um musical??? Ando mesmo a leste (literalmente) destas novidades todas!

Não devia...

Tenho para mim que se St. Peter insiste neste tempo maravilhoso eu vou acabar com uma multa para pagar. Certinho, certinho! Os senhores fofinhos que tomam nas suas mãos os sentidos das vias e, talvez por andarem aborrecidos, teimam em alterná-los ao sabor do vento ou do sol não pensam (mas deviam) em avisar as pessoas distraídas e ocupadas em ir à praia enquanto o frio não chega naquela mala que já está meia feita. 

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Comparações...

Enquanto vou e não vou, vou mesmo só ali à praia e já volto, sim?! -3ºC??? Já??? 
Levo a Isabel, a Maria e a Leonor mas parece-me que é a última vez que vão brincar na areia...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Praia, sol, mar...

Porque senhor dom patrão disse que eu estava branquela e não combinava com as cores da nova estação, decidi fazer os trabalhos de casa com dedicação e afinco. Mas parece-me que amanhã tenho que voltar a repetir. Não tenho a certeza de saber a matéria de cor e salteado nem, tão pouco, estar preparada para o derradeiro teste.
Numa praia quase deserta, não por falta de sol mas porque as rentrées dos vários afazeres assim o obrigam, estive com a Isabel, a Maria e a Leonor - as damas do rei D. Manuel - e como não sou uma intelectualóide de alto gabarito também levei umas revistas (se calhar até sou, não cheguei a folheá-las!) e tive a excelente companhia da minha amiga bola de berlim com creme!
Há dias fantásticos e este foi um deles!
Obrigada St. Peter, agora já falamos muuuuuito melhor.

Porcos...

Hoje, como cidadã cooperante, fui colocar um monte de revistas velhas no Ecoponto aqui da rua e encontrei isto. Bom dia queridos vizinhos! É bom saber que vivo rodeada de animais... Arghhhhh!

Contrastes...

Isto é o que está guardado à minha espera (mais uns dias)...

e isto é para onde eu vou já, já!!!
ok, ainda sem vespa, nem scooter, mas com muita vontade!

Ao sabor do vento...

Depois de uns dias conturbados, as ideias, hoje (ok ontem, mas para mim ainda é hoje - same same!), foram arejadas pelo vento que soprava lá no Tejo. Dia para velejar, destilar (ui, calorzinho bom) e tremer de frio quando o sol viajou para sítios longínquos onde outras gentes o esperavam. Foi bom, foi muito bom!
E o sonho comanda a vida... e houve tempo para fazer castelos na areia e, quem sabe, um novo projecto!

domingo, 9 de outubro de 2011

Fracturas expostas...

O amor não é difícil (crença minha, claro, coisa de pessoa ingénua). Parece até coisa ligeira, simples e fácil de levar quando as batalhas se travam por causa de meias sujas abandonadas no chão, pó por aspirar e fraldas para mudar. Difícil é, quando a vida dá vergastadas a valer, sem ver onde e sem ver a quem, amar o suficiente para ficar e lamber as feridas.

E agora é assim...


Enquanto não hiberno, bebo chá (que não gosto, mas dizem que ajuda) e vejo os barcos a passar...

sábado, 8 de outubro de 2011

What goes around...


Ele há dias que parecem noites siberianas... escuros, frios, inóspitos. Enquanto há cortes, reestruturações com muitas invejinhas e intrigas à mistura, os senhores manda-chuva (às vezes mandam sol também, estes senhores fofinhos!) decidiram enfiaram-me numa escada rolante (no sentido ascendente - menos mal, menos mal!) e surge um convite impossível de não aceitar. Impossível mesmo! Porque... sim, é mais um desafio (e o que eu gosto destes desafios) e sim, ou aceito ou aceito! Não há escolha. Parece-me mais um presente envenenado mas são estas as regras que regem o Universo (às vezes penso eu de que!!!).
Simultaneamente tenho um assunto pendente que espera (e desespera) por resultados. Resultados esses que podem e vão fazer toda a diferença (fingers crossed)!
E porque não há duas sem três (dizem!), cai-me o mundo (um outro) aos pés com uma resolução que me vira a vida de pernas para o ar!
Estou com vontades (porque são muitas) de hibernar... por muitos meses! Entrar num estado letárgico profundo à espera que o mau tempo passe. E desta vez a culpa não é do St. Peter... e o que me apetecia era aproveitar este Verão fora de tempo! 
Nem posso ameaçar que vou emigrar... porque isso já eu faço metade do tempo!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Everything else...

“Your time is limited, so don’t waste it living someone else’s life. Don’t be trapped by dogma - which is living with the results of other people’s thinking. Don’t let the noise of other’s opinions drown out your own inner voice. And most importantly, have courage to follow your heart and intuition. They somehow already know what you truly want to become. Everything else is secondary.” — Steve Jobs

Probabilidades...


Chegar a casa às 05.00 da manhã (culpa da MTV e da falta de organização), tomar o pequeno-almoço a olhar o rio e a cidade ainda adormecida. Descansar (finalmente) às 07.00 e acordar às 09.30 com um telefonema do escritório e fazer um esforço hercúleo para responder acertadamente a todas as perguntas (resultados colaterais que já se começaram a sentir de outras improbabilidades) é uma probabilidade macaca - eles não saberem (e não quererem saber) que é feriado aqui no jardinzito!

Ontem foi assim...

Gelado de frutos vermelhos com iogurte, menta e limão do tio Jamie Oliver (o tio esqueceu-se de mencionar que tinha que ser consumido de imediato ou a sobrinha esqueceu-se de ouvir - agora tenho umas pedras púrpuras no congelador, cores da nova estação!) e MTV EMAs 2011 Voting Party com mais 1499 pessoas. Portugueses... mas não no seu melhor!!!
Não foi ontem, foi no dia 4 mas para mim foi ontem. O melhor é ir dormir para acertar a data!

Eu e o meu mau feitio...

Ainda não percebi porque é que se insiste em tratar os velhos como fardos sem vontade própria, desprovidos de sentimentos e sem direito a opinar. 
Hoje raptei uma avó (não minha) de 90 anos que no almoço de celebração do seu aniversário recebeu de presente um amuo familiar com direito a um silêncio gritante. Visivelmente emocionada (eu e esta avó), e depois de algumas palavras de conforto, desafiei-a a vir a minha casa. Muito educadamente, desconvidei os que se estavam a pendurar à boleia. Uma conversa, alguns desabafos e palavras de coragem. Conselho meu: pegue na colher de pau, bata com ela na mesa (só para fazer barulho) e faça-se ouvir!
Esta antiguidade (90 anos) é mais do que um posto!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Com a mosca...

... tsé-tsé!!!

A balançar...

Contas feitas... não quero fazer mais contas!!! Uma semana de estragos nos EUA. Muito trabalho (em excesso), muito stress, muitos nervos e muuuuitos maus fígados!
Contas feitas... não quero ver o extracto bancário! Contas feitas... não quero ver os cartões de crédito! País do demo, consumista até dizer não chega! Contas feitas... quero voltar com mais tempo! Contas feitas... quero desfrutar daquele frenesim e não esgotar-me no meu!
Soltam-me prendem-me durante uma semana lá pelas terras do tio Sam em nome de birras alheias. Birras, muitas birras e pouco sono (nenhum descanso), e depois ah e tal afinal sôdona Papoila também tem espinhos! Sim, sim... também e bem pontiagudos (thank you, very much)! 
Enfim... contas desfeitas!

sábado, 1 de outubro de 2011

Improbabilidade nº2...

Qual será a probabilidade de uma pessoa depois de entregar a carta de demissão, e durante o período de aviso prévio em que ainda está ao serviço, ser despedida?
Não fui eu, mas tenho para mim que terá efeitos (colaterais) na minha pessoa!
Ultimamente sinto-me rodeada destas improbabilidades parvas...