terça-feira, 4 de março de 2014

Aconselhe-se com o seu farmacêutico...

… ou talvez não!
Uma pessoa que nunca foi dada a essas coisas das doenças, medicamentos e mezinhas e percebe tanto disso como de horticultura, leva uma receita à farmácia com o objectivo de trazer qualquer coisa milagrosa que afaste estas maleitas travessas e confrontam-na com a questão básica do medicamento genérico ou não genérico. Tendo em conta que o joelho, a febre, a tosse, a falta de paciência e todos os outros acontecimentos decorrentes da minha baixa médica e não só (há sempre mais qualquer coisa extra a chatear, ora se há!), passa-lhe pela cabeça oca perguntar à querida farmacêutica o que aconselha e assim começa o ping-pong mais estúpido da história das drogas. Ai, que utente é que sabe e mostra-me 6 ou 7 genéricos do mesmo princípio activo com diferenças de preço na ordem dos cêntimos. Ai, que volto a insistir numa sugestão. Ai, que não, se o médico não especificou, o utente tem que escolher. Ai, que tira, ai que põe, ai que vira, ai que torna. Ai que, já fartinha, escolho uma coisa qualquer e ouço um vê, ainda bem que escolheu esse de livre vontade, eu (sôdona doutora farmacêutica) teria optado por outra solução. Ai, que entre atirar-lhe com a caixa à cara ou dizer-lhe que tinha mudado de ideias e já não queria nada, cobardemente, enfiei os medicamentos no saco, mostrei-lhe o meu olhar 36,5 e prometi a mim mesma não voltar à farmácia que, supostamente, apoia a minha área de residência. Oh que gente tão blhec!

2 comentários:

sintologoexisto disse...

Eu por acaso tive, há dias, o tratamento inverso. Foi-me perguntado se tinha preferência por algum laboratório. Eu, em dificuldades (por isso estava lá), perguntei "está a perguntar-me se quero genérico ou de marca" e a resposta de forma afável e cordial foi "sim". Ao que eu retorqui "mas isso que está aí na receita não é o nome do medicamento?!". Mesmo em dificuldades ainda depreendi logo de seguida "ahhh, é o principio ativo!". Depois lá perguntei, "e a diferença de preço é considerável?". Resposta "sim, ainda é considerável." Opção minha, o genérico. Ahh, e sem o saquinho para ser amigo do ambiente. :)

Papoila Bem Me Quer disse...

Ele há de tudo como na farmácia (olhá redundância, Papoila!).